AFP

O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, toma posse, em Lima, no dia 28 de julho de 2016

(afp_tickers)

Pedro Pablo Kuczynski assumiu nesta quinta-feira (28) a Presidência do Peru para o período 2016-2021, e chamou o Congresso, de ampla maioria opositora, para que o respalde na realização de reformas no governo.

No final do discurso de posse, o presidente resumiu seu trabalho para os próximos cinco anos em seis compromissos, centrados em melhorar os serviços básicos, na formalização da economia, nas infraestruturas e na luta contra a corrupção e contra a discriminação.

Água para todos

Kuczynski diz que levará água e esgoto para todos os peruanos, em um país onde 30% de seus cidadãos não contam com este serviço, apesar de seu sólido desempenho econômico.

Educação

O presidente se compromete a "prestar um serviço de educação pública de qualidade, que abra o mundo para milhões de jovens". Ele já se comprometeu com um aumento salarial dos professores. "Quero que o Peru seja um farol de civilização no Pacífico e na América, e que todos olhem com admiração", acrescentou.

Segundo a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), o Peru investe por aluno da educação secundária 7 vezes menos que a média de 50 países.

Saúde

Em sua gestão, "prestará um serviço de saúde pública sensível ao doente, que seja oportuno e eficaz". Ele recordou o legado de seu pai, Max Kuczynski, um médico judeu de origem polonesa, que ficou responsável pela saúde pública do Peru na Amazônia. "Não posso decepcionar seu legado", assegurou.

O Peru reporta 35.000 novos casos de tuberculose ao ano, em um país onde três em cada dez habitantes não tem seguro saúde. O país destina atualmente 2,2% do PIB para saúde, quando a média da América Latina é acima de 6%.

Formalização

Outra prioridade é "formalizar o país, até o máximo possível". Setenta por cento dos trabalhadores peruanos executam trabalhos informais e Kuczynski espera deixar 60% da população na formalidade até o fim de seu mandato.

Infraestrutura

Kuczynski se comprometeu a "construir a infraestrutura para o desenvolvimento que com tanta urgência necessitamos". Para a Associação para o Fomento da Infraestrutura Nacional (Afin), uma das dificuldades que afeta o desenvolvimento das atividades econômicas do país é a brecha na infraestrutura, que em 2025 chegaria aos 160 bilhões de dólares.

Luta contra a corrupção e a insegurança

Prometeu "libertar nossa pátria da corrupção, da discriminação, da insegurança, dos roubos, lutando com toda a transparência contra essas desgraças históricas".

O Peru perde ao ano 3 bilhões de dólares devido a corrupção, segundo números oficiais.

O país vive, além disso, uma crescente sensação de insegurança. Para 70% dos cidadãos, a insegurança é o maior problema do país.

Kuczynski assegurou a todos os peruanos que irá deixá-los, em 2021, um país onde possam viver seguros e sem o medo de serem assassinados por um roubo de celular.

afp_tickers

 AFP