Navigation

Índia proíbe 118 aplicativos chineses no âmbito de disputa fronteiriça

Versão móvel do PUBG foi baixada milhões de vezes na Índia afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 02. setembro 2020 - 14:08
(AFP)

A Índia anunciou nesta quarta-feira (2) a proibição de 118 aplicativos móveis chineses, intensificando suas medidas de retaliação econômica no contexto de uma disputa de fronteira com a China.

O ministério da Tecnologia da Informação acusou os aplicativos chineses de roubar dados dos usuários e permitir atividades "prejudiciais à soberania e integridade da Índia, defesa da Índia e segurança do Estado e ordem pública".

Entre os aplicativos visados está o videogame PUBG, que tem milhões de usuários na Índia, além dos serviços prestados pela gigante Tencent.

O anúncio ocorre no momento em que a disputa aumenta sobre a fronteira no Himalaia entre a Índia e a China.

Em 15 de junho, em um vale disputado no Ladakh, combates corpo a corpo entre seus soldados deixaram 20 mortos no lado indiano e um número desconhecido de vítimas nas fileiras chinesas.

Foi o primeiro confronto mortal entre os exércitos dos dois países em 45 anos.

Na terça-feira, um representante do Parlamento tibetano no exílio, Namghyal Dolkar Lhagyari, anunciou que um soldado de origem tibetana engajado nas forças especiais indianas havia sido morto no sábado durante um confronto na fronteira com o exército chinês.

Durante o fim de semana, dois incidentes ocorreram em 48 horas na região de Ladakh.

Índia e China trocaram acusações sobrem quem teria atravessado na noite de sábado, e depois na segunda-feira, a Linha de Controle Real ("Lign of Actual Control", LAC), uma fronteira de fato que não está claramente demarcada.

A Índia proibiu recentemente dezenas de aplicativos chineses, citando a segurança nacional e proteção de dados.

Após os combates em junho, Nova Delhi bloqueou 59 aplicativos chineses, incluindo a popular plataforma de compartilhamento de vídeos TikTok.

Quarenta e sete outros, muitos dos quais eram versões reduzidas ou variações de aplicativos já banidos, foram proibidos no final de julho.

Os aplicativos móveis proibidos nesta quarta-feira incluem jogos, serviços de pagamento online, sites de namoro e até software para editar selfies.

O PUBG foi desenvolvido por uma empresa sul-coreana, mas sua famosa versão móvel foi desenvolvida pela Tencent.

De acordo com o ministério de Tecnologia da Informação, "a mineração (de dados) e criação de perfis por elementos hostis à segurança e defesa nacional da Índia, que em última instância infringem a soberania e integridade da Índia, é uma questão de preocupação imediata e muito profunda que exige medidas urgentes".

vash-vm/tw/fox/lch/ia/mr

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.