Navigation

Advogado de ex-presidente francês Sarkozy em prisão preventiva

O advogado Thierry Herzog foi detido preventivamente para interrogatório pela polícia anticorrupção. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 30. junho 2014 - 11:52
(AFP)

O advogado de Nicolas Sarkozy, Thierry Herzog, foi detido preventivamente para interrogatório em um caso de tráfico de influência e de violação do sigilo de instrução, no qual é citado o nome do ex-presidente francês, informou uma fonte judicial.

Thierry Herzog foi detido preventivamente para interrogatório pela polícia anticorrupção. Dois promotores franceses também foram detidos preventivamente por este caso.

A investigação pretende estabelecer se o ex-chefe de Estado, com o apoio do advogado, tentou obter informações de um magistrado sobre a investigação que o envolvia em troca da promessa de um alto cargo.

A polícia tenta descobrir se Sarkozy foi informado de modo ilícito sobre a decisão de ficar sob escuta.

A medida, inédita a respeito de um ex-presidente, foi decidida em setembro em outra investigação, a das acusações de financiamento pela Líbia de Muamar Kadhafi da campanha presidencial de Sarkozy em 2007, na qual ele foi eleito chefe de Estado.

Os dois magistrados detidos preventivamente são Gilbert Azibert, promotor do tribunal de cassação, que teria recebido a promessa de um cargo de prestígio, e Patrick Sassout, outro advogado da mesma jurisdição.

O procedimento judicial prossegue em um momento no qual a França comenta cada vez mais o retorno de Sarkozy à política, com a recuperação da liderança de seu partido, a União por um Movimento Popular (UMP), que enfrenta uma crise sem precedentes por um escândalo de faturas falsas.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?