Navigation

Agência europeia não recomenda parar ibuprofeno em caso de doença crônica

Ilustração do coronavírus afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 18. março 2020 - 17:28
(AFP)

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) pediu nesta quarta-feira que os pacientes que tomam ibuprofeno para tratar uma doença crônica não parem sem aconselhamento médico, após advertências da OMS contra o uso deste medicamento contra o coronavírus.

Após um primeiro alerta alguns dias atrás do ministro da Saúde francês, a Organização Mundial da Saúde (OMS) solicitou na terça-feira às pessoas com sintomas semelhantes à doença Covid-19 que não tomassem ibuprofeno para automedicação, para dar preferência ao paracetamol.

O ibuprofeno é um anti-inflamatório amplamente utilizado para febre e dor, mesmo sendo acusado de causar riscos de complicações infecciosas graves. Também é suspeito de agravar a infecção em pacientes com coronavírus.

Mas, de acordo com o parecer publicado nesta quarta-feira, a EMA não concorda inteiramente com esta linha.

"Ao iniciar um tratamento contra a febre e a dor no quadro de Covid-19, pacientes e cuidadores devem considerar todas as opções, incluindo paracetamol e AINEs" (anti-inflamatórios não esteróides, incluindo o ibuprofeno), estimou a agência.

"Atualmente não há evidências científicas ligando o ibuprofeno ao agravamento do Covid-19", acrescentou, dizendo que estudaria de perto qualquer nova informação.

Em todos os casos, a agência insiste no caso de pacientes em tratamento prolongado com ibuprofeno.

"Atualmente, não há razão para os pacientes que tomam ibuprofeno interromperem o tratamento (...). Isso é especialmente importante para pacientes que tomam ibuprofeno ou outros AINEs para doenças crônicas", diz o comunicado.

A EMA especifica que lançou uma investigação em maio de 2019, após um relatório da agência francesa de medicamentos que sugeria que certas doenças como a varíola eram agravadas pelo ibuprofeno. Pesquisa cujos resultados ainda não foram divulgados.

Vários responsáveis da saúde e cientistas alertaram nos últimos dias contra o uso de ibuprofeno, enquanto a epidemia de coronavírus está se espalhando em alta velocidade.

O sistema de saúde pública britânico NHS, embora observe que não há "evidência significativa" de contra-indicações do ibuprofeno, também recomendou o paracetamol para sintomas precoces.

Como a EMA, enfatizou, no entanto, que "interromper ou alterar a medicação em caso de doença crônica, sem orientação adequada, pode ser perigoso".

Qualquer que seja o medicamento utilizado, é necessário em todos os casos respeitar as regras de uso. O paracetamol, em doses muito altas, pode ser muito perigoso para o fígado.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.