Navigation

Agricultor tem nova vitória judicial contra Monsanto na França

Paul François participa de entrevista coletiva em Lyon afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 11. abril 2019 - 17:04
(AFP)

Um tribunal de apelações confirmou nesta quinta-feira (11) a responsabilidade da gigante americana Monsanto na intoxicação de um agricultor que usava um herbicida do grupo agroindustrial.

"A Monsanto é declarada culpada pelo causado a Paul François", anunciou um tribunal de Lyon, no centro-leste da França.

Paul François foi intoxicado em abril de 2004 ao inalar vapores de Lasso, um herbicida da Monsanto que era usada em seus campos de milho no sudoeste da França.

A multinacional tinha sido condenada em 2012 e 2015 a "indenizar totalmente" o agricultor, que sofre graves sequelas, mas a Monsanto, adquirida pela alemã Bayern, recorreu das duas sentenças.

Em sua decisão, à qual a AFP teve acesso, a corte repreende a Monsanto por "não ter etiquetado" este produto, ou de ter posto uma "menção alertando sobre seu perigo".

François está convencido de que a empresa conhecia os riscos da utilização deste herbicida muito antes de sua proibição na França, em novembro de 2007.

A corte não decidiu nada sobre a indenização de mais de 1 milhão de euros exigida pelo agricultor.

E a batalha do agricultor na Justiça parece não ter acabado.

"A Monsanto se reserva o direito de formar um recurso de cassação. Provavelmente é a próxima etapa", anunciou o advogado da multinacional, Jean-Daniel Bretzner.

Paul François passou mal em 27 de abril de 2004 quando inalou vapores tóxicos em um local onde o Lasso tinha sido aplicado, relatou ele à AFP. Após sentir tonturas, teve tempo apenas de explicar à sua mulher o ocorrido antes de desmaiar e ser hospitalizado.

Apenas em maio de 2005 saiu seu diagnóstico: o monoclorobenzeno, solvente muito tóxico, que representa 50% da composição do herbicida.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.