Navigation

Apple se prepara para apresentar seu iPhone 5G em 15 de setembro

Apple se prepara para apresentar seu novo iPhone em um evento online em 15 de setembro afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 08. setembro 2020 - 17:21
(AFP)

A Apple enviou, nesta terça-feira (8), convites para um evento online em 15 de setembro no qual deve apresentar um iPhone de nova geração para redes de telecomunicações 5G ultrarrápidas.

A empresa de tecnologia, que costuma manter mistério sobre suas novidades até o último minuto, revelou apenas que a apresentação será transmitida a partir das 14h00 de Brasília, em sua sede no Vale do Silício.

O vídeo do convite, enviado por e-mail, foi rapidamente disseminado nas redes sociais, e a Apple também o publicou em seu site, onde transmitirá o evento.

A Apple frequentemente realiza eventos nesta época do ano para apresentar novos iPhones, e as expectativas apontam para que desta vez o produto estrela seja um modelo 5G e, provavelmente, outros celulares novos.

O analista da Wedbush, Daniel Ives, disse em nota à investidores que uma revisão da rede de suprimentos da Apple na Ásia fortaleceu sua confiança em um "superciclo" do iPhone 12, que começou com o lançamento de vários modelos novos em outubro.

Ives considerou o mercado chinês um "ingrediente-chave na receita de sucesso da Apple", estimando que representará cerca de 20% dos iPhones de reposição no próximo ano.

As redes 5G são promovidas como a promessa de um salto exponencial na quantidade e velocidade dos dados wireless, o que permite avanços em carros autônomos, realidade virtual, saúde conectada e internet das coisas em geral, entre outras utilidades, já que o sensores e servidores se comunicam instantaneamente.

O analista de tecnologia Rob Enderle, do Enderle Group, alertou que a Apple pode não ter a tecnologia de chip para um iPhone 5G, apesar de querer colocar um no mercado.

No ano passado, a Apple fechou um acordo de um bilhão de dólares para adquirir a maior parte dos negócios de modems para smartphones da Intel, uma mudança que dá ao fabricante do iPhone mais controle sobre sua cadeia de suprimentos.

O acordo foi firmado depois que a Intel anunciou que estava abandonando seus esforços para competir com chips de modem de smartphone sincronizados com redes 5G.

A Apple tem investido em seus próprios chips móveis para aumentar o desempenho e as funções de seus dispositivos e reduzir sua dependência da líder do setor, a Qualcomm.

"Se você tem um telefone premium, não vejo como poderia ficar sem a 5G", disse Enderle.

Marcas rivais de smartphones costumam lançar modelos atualizados antes do Natal, o que pode variar devido à desaceleração econômica causada pela pandemia.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.