Navigation

Arizona abre processo contra vacinação anticovid obrigatória

O presidente Joe Biden afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 14. setembro 2021 - 22:17
(AFP)

O Arizona se tornou nesta terça-feira (14) o primeiro estado dos Estados Unidos a abrir um processo contra a ordem do presidente Joe Biden de vacinação obrigatória para todos os funcionários federais e empresas com mais de 100 funcionários.

O procurador-geral do Arizona, Mark Brnovich, do partido Republicano, anunciou que formalizará a ação contra o que em sua opinião é uma ação "inconstitucional" do presidente do democrata.

"O governo federal não pode forçar as pessoas a se vacinarem contra a covid-19", disse Brnovich em um comunicado. "O governo Biden está mais uma vez desrespeitando nossas leis para impor sua agenda radical", acrescentou.

Na ação, o procurador-geral do Arizona, estado vizinho ao México, argumentou que a obrigatoriedade das vacinas viola a Cláusula de Igualdade estabelecida na 14ª emenda da Constituição, ao "favorecer" os migrantes que ingressaram ilegalmente no país em detrimento dos cidadãos americanos.

“Os migrantes que cruzaram a fronteira sul ilegalmente não estão sujeitos a nenhuma exigência de vacinação, mesmo quando entram diretamente nos Estados Unidos”, disse Brnovich.

“Isso reflete um favoritismo inegável e inconstitucional em favor dos migrantes ilegais”, continuou. Brnovich pediu a um tribunal que declarasse a vacinação obrigatória inconstitucional.

Diversos governadores republicanos se manifestaram contra a ordem de Biden.

Questionado na semana passada sobre os desafios legais de endurecer as regras de vacinação, Biden disse: "Que o façam", se referindo à abertura de processos.

A medida de Biden foi lançada justamente no momento em que a variante delta alimentava o aumento de casos de covid-19 no país.

Ao anunciar o pedido, Biden se referiu aos cerca de 80 milhões de americanos elegíveis que ainda não receberam sua dose para serem imunizados contra a doença que já matou mais de 650.000 nos Estados Unidos.

"Temos sido pacientes, mas a paciência está se esgotando", disse o presidente de 78 anos. "E sua recusa custou a todos nós, então, por favor, faça a coisa certa".

A decisão de Biden obriga todos os funcionários federais a se vacinarem, assim como as empresas com mais de 100 funcionários. As companhias podem ser multadas se não cumprirem o mandato.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?