Navigation

Assassinada prefeita no estado de Veracruz, no México

Mapa do México com a localização do estado de Veracruz, onde as autoridades locais encontraram nessa quarta-feira o corpo da prefeita do município mexicano de Jamapa. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 11. novembro 2020 - 20:31
(AFP)

Autoridades estaduais encontraram nesta quarta-feira (11) o corpo de Fkorisel Ríos, prefeita do município mexicano de Jamapa, no violento estado de Veracruz (leste). Segundo o governador do estado, Cuitláhuac García, ela foi sequestrada e assassinada supostamente por um grupo criminoso.

"Recebemos a notícia lamentável, confirmada, do homicídio da prefeita do município de Jamapa", disse García em um vídeo difundido em suas redes sociais.

De acordo com relatos da secretaria de Segurança estatal, Florisel Ríos foi sequestrada e morta por um criminoso, que em seguida abandonou o corpo na comunidade de Ixcoalco, no município de Medellin de Bravo.

O órgão informou em comunicado que “ordenou ações operacionais no município de Jamapa e arredores” para investigar o crime em Ríos.

O cadáver da prefeita foi encontrado em um local da zona costeira do Golfo do México que a polícia agora monitora por ar e terra, acrescentou a secretaria.

Ríos tornou-se prefeita de Jamapa em 2018 como candidata de uma aliança entre o conservador Partido da Ação Nacional (PAN) e o Partido da Revolução Democrática (PRD), de esquerda. Seu mandato terminava em 2021.

García lembrou que em 2019 outra prefeita de oposição, Maricela Vallejo, do município de Mixtla de Altamirano, foi assassinada junto com o marido na área central de Veracruz.

“Vamos encontrar os responsáveis”, garantiu o governador.

Nos últimos anos, Veracruz tem sido palco de crescente violência devido às disputas entre células dos cartéis Jalisco Nueva Generación e Los Zetas.

Desde dezembro de 2006, quando o governo da época lançou uma operação militar antidrogas, até agosto passado, foram registrados mais de 296 mil assassinatos no México, segundo dados oficiais.

As autoridades não esclarecem quantas dessas mortes estão ligadas ao combate a quadrilhas de criminosos.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.