Navigation

Astronauta dos Emirados será primeiro árabe na ISS

O astronauta Hazzaa al Mansoori será o primeiro árabe da Estação Espacial Internacional, depois de decolar nesta quarta-feira do Cosmódromo de Baikonur no Kasajisstan afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 24. setembro 2019 - 18:44
(AFP)

O astronauta dos Emirados que se tornará o primeiro árabe na Estação Espacial Internacional (ISS) disse nesta terça-feira (24) que recebeu o apoio de muitas partes do mundo antes de sua "sonhada" missão.

Acompanhado pelo russo Oleg Skripochka e pela astronauta da Nasa Jessica Meir, Hazzaa al Mansoori, de 35 anos, deve decolar para o espaço à bordo de uma nave russa Soyuz de Baikonur, no Cazaquistão, na quarta-feira.

Mansoori, que permanecerá oito dias na ISS, será o primeiro astronauta dos Emirados e o primeiro árabe no laboratório, mas não o primeiro muçulmano.

“É realmente uma honra e estamos ansiosos para tornar essa missão bem-sucedida e retornar com muitos conhecimentos”, afirmou o piloto em entrevista coletiva.

Ele contou que a viagem é um marco para seu país e o mundo árabe.

“Essa conquista será histórica e continuará”, acrescentou. “O sonho se tornou realidade”.

Mansoori disse ainda que praticará sua oração habitual na estação e a transmitirá às pessoas na Terra.

"Como piloto de caça, eu já rezei no meu avião", contou, acrescentando que tem experiência em rezar em alta velocidade.

Mansoori também espera fazer experimentos e disse que levará comida dos Emirados para compartilhar com seus companheiros de viagem.

Skripochka, que voa pela primeira vez, Meir e Hazzaa, se uniram à tripulação de seis pessoas da estação e, por um curto período, a estação contará com nove astronautas.

Meir, de 42, disse que “é uma conquista” para os Emirados Árabes Unidos ter uma pessoa no espaço, já que esse programa é muito novo.

Mansoori deve regressar à Terra em 3 de outubro com o astronauta da Nasa, Nick hague, e o cosmonauta russo Alexey Ovchinin. Skripochka e Meir permanecerão na estação até a primavera de 2020.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.