Navigation

Atentado no leste do Afeganistão mata 16 pessoas

Soldados da Otan em base militar afegã na cidade de Parwan em 29 de maio afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 08. julho 2014 - 10:14
(AFP)

Quatro soldados estrangeiros da Otan e outras 12 pessoas morreram nesta terça-feira em um atentado suicida no leste do Afeganistão, informaram autoridades locais e a força internacional.

"Esta manhã um homem-bomba atacou um grupo de soldados estrangeiros em Bagram, no distrito de Parwan. O ataque matou quatro soldados, dois policiais e 10 civis", disse à AFP Waheed Sediqi, porta-voz do distrito de Parwan.

A Força Internacional de Assistência para a Segurança (Isaf), liderada pela OTAN, anunciou em um comunicado a morte dos quatro soldados, mas não divulgou os nomes e as nacionalidades.

Os ataques contra a Isaf, que abandonará o país ao fim do ano, foram pouco frequentes nos últimos meses.

Os talibãs reivindicaram o ataque no Twitter.

"Às 8h00 (0H30 de Brasília), um de nossos combatentes executou um ataque suicida contra as forças especiais americanas no distrito de Bagram, na província de Parwan", afirma a mensagem.

"O corajoso combatente detonou um cinturão e 15 membros das forças especiais morreram ou ficaram feridos", completa outra mensagem dos talibãs, que têm o hábito de exagerar o número de vítimas de seus ataques.

Quase 3.450 soldados da coalizão morreram no Afeganistão desde o início das operações no país sob o comando dos Estados Unidos.

Atualmente, 50.000 soldados da Otan, em sua maioria americanos, permanecem no país, contra 150.000 no ano de 2011.

O mandato da Otan termina em dezembro deste ano. Caso o novo presidente afegão assine o tratado de cooperação militar (BSA), em 2015 permanecerão no país 10.000 soldados.

O ataque desta terça-feira coincide com uma nova onda de violência dos talibãs, que executaram vários atentados em Cabul na semana passada.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.