Navigation

Atualização do Facebook permite 'abraço à distância'

O Facebook lançou dois novos emojis para o Messenger afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 17. abril 2020 - 19:32
(AFP)

O Facebook está tentando abraçar o mundo, na forma de um emoji que as pessoas podem usar enquanto permanecem em casa.

A quantidade de emojis disponíveis para uso nesta rede social será ampliada na próxima semana, com figurinhas como a clássica carinha amarela, agora abraçando carinhosamente um coração vermelho.

A iniciativa de expressar "cuidado" será acrescentada aos emojis já existentes, como o botão "curti" e ícones mais recentes para expressar amor, felicidade, tristeza, raiva e medo.

"Estamos lançando novos ícones de reação para o Facebook e Messenger como forma de fazer as pessoas mostrarem seu apoio umas às outras nesse momento delicado", disse o porta-voz da rede social Alexandru Voica em uma série de tuítes nesta sexta-feira (17).

"Nós esperamos que essas reações permitam que as pessoas tenham outras formas de demonstrar apoio durante a crise da #COVID19".

Faz cinco anos que o Facebook expandiu suas opções de emojis para expressar sentimentos de forma a usá-las ao clicar em uma carinha e selecionar a expressão que preferir para mandá-la para um amigo.

O novo símbolo "estará disponível em todo o mundo na próxima semana e poderá ser usado para reagir a posts, comentários, imagens, vídeos e qualquer outro conteúdo no aplicativo e no Facebook.com", disse Voica.

A versão do Messenger para plataformas móveis também receberá um novo emoji - um coração vermelho desenhado como se estivesse batendo.

O uso do Facebook e dos seus serviços, incluindo mensagens e chat de vídeos - usados por mais de dois bilhões de pessoas - aumentou após o confinamento, período em que muitas pessoas em todo o mundo utilizam as redes sociais para manter contato com amigos e entes queridos.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.