Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Tony Abbott, primeiro-ministro da Austrália, se prepara para fazer discurso na Cúpula empresarial B20 em 17 de julho de 2014 em Sydney

(afp_tickers)

A Austrália aboliu nesta quinta-feira uma "taxa carbono" criticada pelos grupos do setor de mineração que havia sido instaurada há dois anos pelo governo trabalhista para reduzir as emissões de carbono, no âmbito da luta contra as mudanças climáticas.

A câmara alta do Parlamento aprovou por 39 votos contra 32 a anulação desta taxa, uma medida prometida pelo partido conservador que chegou ao poder em setembro de 2013. O resultado da votação recebeu tímidos aplausos.

O primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, afirmava que os consumidores eram os que custeavam o aumento desta taxa através de contas mais elevadas.

"É uma grande notícia para as famílias australianas e para a pequena empresa de nosso país", disse Abbott, para quem os estudos científicos que atribuem o aquecimento global à ação do homem são um "verdadeiro absurdo".

A Austrália é responsável por 1,5% de emissões de gases do efeito estufa no mundo, mas ao mesmo tempo é um dos maiores emissores do mundo por habitante devido a sua dependência do carbono para a produção de eletricidade.

Além disso, o setor minerador é o motor do crescimento australiano há 15 anos e o país conta com vários gigantes do setor, entre eles Rio Tinto e BHP Billiton.

AFP