Navigation

Avião bloqueado no Equador decolou para Paris com 300 europeus

Foto de cortesia publicada pela passageira franco-brasileira Manuela Picq mostra estrangeiros, presos no aeroporto de Guaiaquil, no Equador, em 9 de abril de 2020. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 09. abril 2020 - 19:47
(AFP)

Um voo fretado pelo governo da França, que ficou parado após apresentar um problema em Guaiaquil, decolou nesta quinta-feira (9) com destino a Paris.

A cidade é epicentro do novo coronavírus no Equador, país que já registrou 5.000 casos e 272 mortes.

A aeronave transportava cerca de 300 passageiros.

"O avião da Air Europa decolou depois de reparos", disse uma fonte do aeroporto de Guaiaquil, onde a aeronave apresentou uma falha na quarta-feira antes de seguir para Paris, onde seria repatriado o grupo de turistas, metade deles franceses.

"Eles decolaram às 12:42 locais", disse a porta-voz do terminal, Daniela Arosemena, no WhatsApp.

O embaixador francês em Quito, Jean-Baptiste Chauvin, confirmou que "o voo" partiu com 291 passageiros de 15 nacionalidades europeias, incluindo cerca de 170 franceses.

Segundo ele, 202 pessoas embarcaram no dia anterior em Quito e em Guayaquil, outras 89. "A falha foi resolvida", disse o diplomata.

A embaixada francesa em Quito informou que "o voo permitiria que cidadãos franceses e outros europeus retornassem aos seus países".

A província de Guaias e sua capital, Guaiaquil, concentra 68% dos casos. O Equador é o segundo na América Latina em número de infectados e mortos, depois do Brasil.

Os turistas ficaram presos no país após Quito declarar estado de emergência, fechar suas fronteiras e proibir todos os voos, exceto os com ajuda humanitária e sem passageiros.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.