Navigation

Banco Mundial aprova ajuda de US$ 12 bi para vacinas contra a covid-19

Foto de 9 de outubro de 2020 de uma dose da candidata a vacina contra a covid-19 da farmacêutica chinesa Sinovac durante a terceira fase de testes no hospital Acibadem, em Istambul afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 13. outubro 2020 - 23:34
(AFP)

O Banco Mundial anunciou nesta terça-feira (13) ter aprovado um plano de ajuda de 12 bilhões de dólares para garantir aos países em desenvolvimento o acesso rápido a vacinas contra a covid-19 quando estiverem disponíveis.

O montante será usado para "financiar a compra e a distribuição de vacinas, testes e tratamentos de covid-19 para seus cidadãos", informou o Banco Mundial em um comunicado. Este financiamento poderia possibilitar a vacinação de "até um bilhão de pessoas", acrescentou.

O dinheiro integra um pacote abrangente do Grupo Banco Mundial (WBG) de até US$ 160 bilhões até junho de 2021, concebido para ajudar os países em desenvolvimento a combater a pandemia do novo coronavírus.

"Este pacote de financiamento ajuda a sinalizar para a indústria de pesquisas e farmacêuticas que os cidadãos dos países em desenvolvimento também precisam ter acesso a vacinas seguras e eficazes contra a covid-19", destacou o comunicado.

"Também fornecerá financiamento e apoio técnico de forma a que os países em desenvolvimento possam se preparar para distribuir as vacinas em escala, em coordenação com parceiros internacionais", prosseguiu.

O acesso a vacinas seguras e eficazes "e sistemas de entrega fortalecidos são a chave para alterar o curso da pandemia e ajudar os países que enfrentam impactos econômicos e fiscais catastróficos a se dirigirem para uma recuperação resiliente", disse o presidente do Banco Mundial, David Malpass, no comunicado.

O financiamento "também irá apoiar os países a terem acesso a testes e tratamentos para a covid-19, e expandir a capacidade de imunização para ajudar os sistemas de saúde a distribuir as vacinas de forma eficaz", acrescentou o comunicado.

A aprovação do financiamento era aguardada desde que Malpass fez o anúncio do projeto em setembro.

Enquanto as vacinas ainda precisam chegar aos mercados, Malpass observou em uma entrevista ao jornal francês Le Figaro que é necessário se preparar para o complicado processo de distribuição dos imunizantes.

A abordagem do banco, segundo o comunicado, se vale de sua "expertise significativa em apoiar programas de imunização em larga escala para doenças evitáveis por vacinas, assim como com programas de saúde pública para combater doenças infecciosas, como HIV, tuberculose, malária e doenças tropicais negligenciadas".

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.