Navigation

Bolsonaro faz exames médicos e resultados são normais

"Vou ao hospital para fazer exames de rotina", respondeu o presidente, ao sair da residência oficial afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 08. janeiro 2020 - 14:31
(AFP)

O presidente Jair Bolsonaro se submeteu nesta quarta-feira (8) a uma série de exames médicos de rotina. Segundo informações oficiais, os resultados foram normais.

Bolsonaro, de 64 anos, chegou a um hospital militar em Brasília para realizar exames que não estavam previstos em sua agenda oficial.

"Os resultados (dos exames) foram completamente normais. Portanto, o nosso presidente segue bem e com muita saúde", disse Otávio Rêgo Barros, porta-voz da Presidência da República.

O porta-voz ainda informou que o presidente fez exames de rotina de gastroenterologia, dermatologia e cardiologia.

Pela manhã, ao deixar o Palácio da Alvorada, Bolsonaro respondeu rapidamente algumas perguntas. Ao ser questionado sobre a sua agenda do dia, explicou: "Vou ao hospital para fazer exames de rotina".

Rêgo Barros comentou que é comum que de tempos em tempos o presidente faça exames de rotina, e justificou que a disponibilidade na agenda de Bolsonaro motivou a visita inesperada ao hospital.

Na última sexta-feira, o presidente declarou ter uma hérnia abdominal, ao que tudo indica como consequência das operações que fez para tratar a facada que levou no abdômen durante a campanha eleitoral, em 2018. Quanto a isso, informou que faria alguns exames médicos somente em fevereiro.

Desde o ataque, Bolsonaro foi operado quatro vezes, sendo a última em setembro de 2019.

Na última segunda-feira, seu porta-voz afirmou que a probabilidade de uma nova cirurgia seria "zero", e no dia seguinte comentou sobre a necessidade de exames de saúde de rotina.

"É necessário, por causa das cirurgias que já fez, ser avaliado de tempos em tempos", ressaltou Rêgo Barros.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.