Navigation

Cabeça de lobo de 32.000 anos é encontrada na Sibéria

Cabeça de lobo de 32.000 anos encontrada na Sibéria afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 14. junho 2019 - 09:36
(AFP)

Uma gigantesca cabeça de lobo de 32 mil anos de antiguidade, com o cérebro e os dentes intactos, foi descoberta na região russa da Sibéria - informou a Academia de Ciências local em um comunicado.

Coberta de pelagem e parecendo a cabeça de um mamute, ela foi encontrada por um habitante no verão passado em uma área de permafrost perto de um rio em Yakutia, no leste da Sibéria, relata o comunicado publicado na noite de quinta-feira (13).

Entregue à Academia de Ciências de Yakutia, paleontólogos russos e japoneses analisaram a peça e estabeleceram que se trata da cabeça de um lobo do Pleistoceno (Canis dirus), de 32.000 anos de idade.

Sua dimensão, 41,5 centímetros de comprimento, corresponde à metade do corpo de um lobo atual, que mede entre 66 e 86 centímetros, descreve o documento.

"Isso nos permitiu concluir que o lobo do Pleistoceno era gigantesco", acrescenta.

A cabeça contém "um cérebro intacto, e todos os seus dentes estão preservados", disse o comunicado, que considerou a descoberta "sensacional".

Os tecidos e a pele também estão intactos, de acordo com a mesma fonte.

"É a primeira vez que encontramos restos de um lobo do Pleistoceno com tecidos preservados", disse Albert Protopopov, da Academia de Ciências, citado no comunicado.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.