Navigation

Candidata e mais cinco pessoas são mortas em ataque na Colômbia

Familiar da candidata à prefeita assassinada Karina García carrega um cartaz de sua propaganda política em Suarez, no departamento de Cauca, Colômbia, em 2 de setembro de 2019 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 02. setembro 2019 - 16:04
(AFP)

Uma candidata às eleições locais de outubro na Colômbia foi assassinada junto com outras cinco pessoas em um "massacre" cometido em um município do sudoeste do país na noite de domingo - informaram as autoridades nesta segunda-feira (2).

O veículo blindado, no qual viajava a candidata à prefeitura do município de Suárez Karina García, foi "alvo de um atentado com armas de longo alcance" e, posteriormente, incinerado no departamento do Cauca, disse à AFP Jair Rossi, da Defensoria regional.

Em um tuíte, a Defensoria condenou o "massacre".

No ataque, também morreram a mãe de Karina, um candidato a vereador e três pessoas ainda não identificadas.

A região, onde faleceu a candidata do Partido Liberal, "é um setor de comunidade indígena", afetado pela violência ligada ao tráfico de drogas e à mineração ilegal, acrescentou Rossi.

O pai da candidata, Orlando García, de 60 anos, também denunciou que sua filha havia recebido ameaças de alguns seguidores de outros candidatos.

O alto comissário para a Paz, Miguel Ceballos, responsabilizou um chefe do grupo de dissidentes das Farc que operam nesta região, conhecido como Mayimbú. Também denunciou o sequestro de outro candidato do Partido Liberal, no Chocó (noroeste), por parte do Exército de Libertação Nacional. O ELN é a última guerrilha reconhecida pelo governo na Colômbia.

No Twitter, o Partido Liberal lamentou a morte de Karina nas mãos de "terroristas" e exigiu, do presidente Iván Duque, garantias de segurança para participar da disputa eleitoral.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.