Navigation

Cerca de 200 presos na Venezuela por 'violar' quarentena pela COVID-19

Homem passa por barreira de concreto em Caracas afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 03. agosto 2020 - 15:49
(AFP)

Cerca de 200 pessoas foram presas na Venezuela neste fim de semana por violar a quarentena em vigor desde março, devido à pandemia de COVID-19, informou o governo nesta segunda-feira (3).

"Durante o fim de semana, 193 pessoas foram presas após vários dispositivos de segurança realizados para garantir o cumprimento da quarentena social e prevenir a propagação da COVID-19", disse o Ministério do Interior em nota divulgada nas redes sociais.

As detenções foram realizadas por agentes da Polícia Nacional Bolivariana (PNB), que "acabaram com 17 festas clandestinas que violavam o cumprimento da quarentena", acrescentou.

De acordo com o texto, bebidas, caixas de som e veículos foram apreendidos.

O Ministério do Interior não especificou os locais onde as prisões ocorreram. Os presos ficaram por responsabilidade do Ministério Público.

Ao reconhecer um aumento "preocupante" dos casos, o presidente socialista Nicolás Maduro afirmou que as "rumbas" (festas) se tornaram um foco de contágio.

A partir desta segunda-feira e por uma semana, a Venezuela enfrenta sete dias de "quarentena radical".

Atualmente, este país de 30 milhões de habitantes registra 20.206 casos e 176 mortes por coronavírus, de acordo com os dados oficiais, os quais são questionados por organizações como Human Rights Watch (HRW), que os consideram pouco confiáveis.

O governo de Maduro aplica, desde junho, um esquema que chama de "7+7", que alterna sete dias de confinamento rígido com sete de vida flexível.

No entanto, cumprir uma quarentena rígida é um luxo para muitos que vivem o dia a dia em um país com hiperinflação, seis anos seguidos de recessão e uma pobreza crescente.

Todos os dias se observa bastante movimento nas ruas, apesar das restrições.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.