Navigation

Chile discorda de pacto migratório da ONU e não irá a reunião no Marrocos

Este conteúdo foi publicado em 09. dezembro 2018 - 19:20
(AFP)

O Chile anunciou que não participará de uma conferência internacional no Marrocos organizada em apoio a um pacto migratório da ONU por considerar que algumas disposições do documento "não são aplicáveis" à política migratória chilena, anunciou neste domingo (9) o Ministério do Interior.

O acordo não vinculante alcançado em julho do ano passado é considerado por vários países, inclusive Estados Unidos, um risco à soberania nacional.

O documento "foi evoluindo de um pacto que apontava para o diálogo internacional necessário para um pacto que reflete certos padrões internacionais que não são aplicáveis à política migratória chilena", afirmou o subsecretário do Interior, Rodrigo Ubilla.

Por isso, o governo do conservador Sebastián Piñera "decidiu não participar da reunião de segunda e terça-feira em Marrakech a fim de poder, na instância correspondente, posteriormente, deixar claramente estabelecido quais são as diferenças que tem com este pacto", acrescentou o funcionário em declarações divulgadas por sua pasta.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.