Navigation

Chileno acusado de matar japonesa e que será extraditado é entregue à polícia francesa

(Arquivo) Nicolas Zepeda é acusado de homicídio contra japonesa afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 23. julho 2020 - 18:03
(AFP)

O chileno Nicolás Zepeda foi entregue nesta quinta-feira (22) à polícia francesa no Aeroporto de Santiago, onde será extraditado para enfrentar a justiça da França pelo assassinato da ex-namorada japonesa, desaparecida na cidade de Besançon, em 2016.

"Zepeda acaba de ser entregue aos policiais franceses no aeroporto de Santiago. Será apresentado (às autoridades em Besaçon amanhã (sexta-feira)", explicou à AFP o promotor francês Etinne Manteaux.

A extradição será concretizada quando o voo regular da companhia aérea Air France embarcar com a polícia francesa, programado para as 14h55 no horário local (15h55 horário de Brasília), com destino a Paris.

Agentes da Polícia de Investigações (PDI) retiraram Zepeda, de 29 anos, de seu apartamento no balneário de Viña del Mar, 120 km ao oeste de Santiago, onde cumpria prisão domiciliar, constataram jornalistas da AFP.

Com a extradição, termina no Chile o processo iniciado em março, quando foi acatado o pedido da justiça francesa contra Zepeda, um engenheiro de produção que é o único suspeito pelo desaparecimento de Narumi Kurosaki, sua ex-namorada de 21 anos.

O rastro da jovem japonesa se perdeu em 6 de dezembro de 2016 em um dormitório universitário em Besançon. Seu corpo ainda não foi encontrado.

A justiça francesa acusa o chileno de "crime de homicídio doloso com premeditação" após viajar à França com a intenção de cometer o crime, depois de descobrir que a ex-namorada estava envolvida em um novo relacionamento.

De acordo com a investigação, nos dias anteriores ao crime, Zepeda comprou material inflamável, seguiu a vítima e a convidou para jantar. Em seguida, já no dormitório universitário, teria estrangulado a ex-namorada, antes de esconder o corpo em uma mala, que escondeu em um bosque da região.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.