Navigation

China liga casos a pneumonia a nova cepa de vírus

A China acredita que 59 casos de pneumonia registrados no país foram provocados por uma nova cepa de vírus da família da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS). afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 09. janeiro 2020 - 03:09
(AFP)

A China acredita que 59 casos de pneumonia registrados no país foram provocados por uma nova cepa de vírus da família da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), informa a imprensa estatal nesta quinta-feira.

A infecção foi identificada pela primeira vez no dia 31 de dezembro, em Wuhan, cidade do centro da China com mais de 11 milhões de habitantes, e logo despertou temores sobre um ressurgimento da altamente contagiosa SARS.

Os especialistas "determinaram preliminarmente" que um novo tipo de coronavírus está por trás dos casos, informou a estatal CCTV nesta quinta, citando resultados de laboratório.

"Foram detectados 15 resultados positivos do novo tipo de coronavírus" em laboratório, anunciou a CCTV.

No domingo, a China descartou o retorno da SARS, que em 2003 matou cerca de 800 pessoas, a maioria no território chinês.

As autoridades chinesas também negaram que se trate de MERS, gripe, gripe aviária ou adenovírus", segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

"De acordo com as autoridades chinesas, o vírus pode causar sérios problemas em alguns pacientes", mas "não se propaga rapidamente".

A Comissão de Saúde de Wuhan informou no domingo que sete dos 59 pacientes estavam em estado grave, mas não havia qualquer óbito.

Oito pacientes se recuperaram e receberam alta, informou nesta quarta-feira a agência estatal de notícias Xinhua.

"Nenhum paciente morreu ainda", revelou a Comissão, que determinou que vários infectados trabalhavam em um mercado especializado no fornecimento de mariscos e peixes.

Os coronavírus constituem um numeroso grupo de vírus com capacidade de causar doenças leves em humanos, mas também podem provocar enfermidades graves como a SARS.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.