Navigation

China se lança em corrida espacial para asteroides

Lançamento de foguete no centro espacial chinês de Jiuquan, em 2 de abril de 2018 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 18. abril 2019 - 14:55
(AFP)

A China anunciou nesta quinta-feira que enviará uma sonda a um asteroide para coletar amostras e trazê-las à Terra, disputando com missões similares executadas pelas agências espaciais da Europa, dos Estados Unidos e do Japão.

A missão, que durará 10 anos, terá como destino o asteroide 2016 H03, minúsculo corpo celeste de 40 metros de diâmetro que está a uma distância média de 5,2 milhões de km da Terra, anunciou a agência espacial chinesa.

A sonda será encarregada de trazer amostras do asteroide, explicou à imprensa o diretor do Centro de Exploração e Engenharia Espacial, Liu Jizhong, sem especificar a data para o lançamento da missão.

O veículo se dividirá em dois após sua missão no asteroide: uma cápsula com as amostras voltará à Terra e outro módulo se dirigirá para o cometa 133P.

Há três meses a sonda japonesa Hayabusa2 fez um pouso sobre um asteroide.

Já a Nasa sobrevoou em 1 de janeiro com sua sonda New Horizons o objeto denominado Ultima Thule, situado a mais de 6,2 bilhões de km, muito além da órbita de Plutão.

Outra sonda da Nasa, a Osiris-Rex, foi posta em órbita em volta do asteroide Bennu, a cerca de 110 milhões de km da Terra.

A China atualmente gasta mais em seus programas espaciais civis e militares que a Rússia e o Japão, com orçamento calculado pela OCDE em 8,4 bilhões de dólares em 2017 - ou seja, o segundo maior orçamento do mundo, atrás dos Estados Unidos.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.