Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O ministro do Interior, Néstor Reverol

(afp_tickers)

Chuvas torrenciais deixaram um morto e um desaparecido nesta quarta-feira no estado de Carabobo (norte da Venezuela), informou o ministro de Interior e Justiça, Néstor Reverol.

A vítima fatal foi um homem de 72 anos, anunciou o funcionário pelo Twitter, sem detalhar as circunstâncias em que ocorreu a morte.

Reverol assinalou que quatro municípios ficaram alagados depois de três horas de intensas chuvas, fazendo com que o governo ativasse quatro abrigos na cidade de Puerto Cabello.

"Também estão sendo distribuídos utensílios para os atingidos", assegurou o ministro à emissora de televisão do governo, VTV, que mostrou ruas inundadas e pessoas com seus pertences na chuva.

O transbordamento dos rios causou deslizamentos de terra que bloquearam estradas, indicou Reverol, que sustentou que a passagem de uma onda tropical provocou tempestades em vários estados.

"Ocorreram deslizamentos de terra e quedas de árvores, o que obstaculizou a passagem de veículos", disse ao se referir à transitada estrada de Valencia-Puerto Cabello.

Em 21 de agosto quatro pessoas morreram pelo transbordamento de um rio na localidade costeira de Choroní, em Aragua (norte).

O aumento do nível dos rios Orinoco e Caroní, os mais extensos da Venezuela, afetaram em 7 de agosto cerca de 4.500 famílias nos estados sulistas de Bolívar, Delta Amacuro e Amazonas.

Depois de três anos de secas, o país vive um período chuvoso que ativou os alertas ante o possível transbordamento do lago de Valencia, compartilhado pelos estados Aragua e Carabobo. Autoridades aumentaram o tamanho de um muro de contenção na tentativa de evitar possíveis danos às comunidades próximas ao lago, que recebe água de 22 rios.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP