Navigation

Cidade do México diminui restrições apesar da ocupação crítica do hospital

Pessoas fazem fila para recarregar os tanques de oxigênio para seus parentes com problemas respiratórios na Cidade do México em 6 de janeiro de 2021, em meio à pandemia do coronavírus. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 15. janeiro 2021 - 21:52
(AFP)

A Cidade do México relaxou seu estado de alerta máximo nesta sexta-feira (15), permitindo a operação de alguns restaurantes e outros negócios, apesar do fato de que a rede hospitalar está sobrecarregada pelo surto de covid-19.

O “semáforo vermelho”, que está em vigor desde 18 de dezembro e restringe atividades não essenciais, vai continuar por mais uma semana, permitindo porém o atendimento de restaurantes com esplanadas ou espaços exteriores a partir da próxima segunda-feira, disse a prefeita da capital, Claudia Sheinbaum.

“Estamos em um sinal vermelho, na Cidade do México as internações continuam crescendo, mas estamos sensíveis ao que está acontecendo, por isso ligamos para reativar sem arriscar”, disse a prefeita em coletiva de imprensa.

Com 91% de ocupação hospitalar, a capital é o epicentro da pandemia no país latino-americano, com 387.517 casos confirmados e 24.357 óbitos até quinta-feira.

O alerta máximo foi decretado quando a metrópole de cerca de nove milhões de habitantes estava com 75% dos leitos ocupados.

Na última semana, foram registradas 4.464 internações, segundo a Agência Pública de Inovação Digital (ADIP), em decorrência dos encontros de Natal e Ano Novo.

Devido ao aumento da velocidade de contágio do novo coronavírus, o México registra a semana mais letal da pandemia, com uma média de 983 mortes por dia entre os dias 8 e 14 de janeiro.

No total, o país, de 128 milhões de habitantes, contabilizou 137.916 mortes e 1,58 milhão de infecções até esta quinta-feira, o que o torna o quarto maior em mortes em números absolutos.

Como parte da flexibilidade, restaurantes com áreas abertas poderão atender em suas mesas até as seis da tarde. Os donos e funcionários dessas empresas protestavam para exigir o fim das restrições.

Outros estabelecimentos do Centro Histórico foram autorizados a atender pela vitrine, enquanto algumas academias podem funcionar em espaços externos, como parques.

Da mesma forma, os supermercados estão autorizados a funcionar 24 horas por dia para evitar aglomerações.

O vizinho estado do México - que faz parte da Região Metropolitana do Vale do México - também anunciou a prorrogação do alerta máximo por uma semana, registrando uma ocupação hospitalar de 84%.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?