Navigation

Cientistas descobrem o mais antigo aglomerado de galáxias

Simulação da formação de um aglomerado de galáxias no início do universo foi publicada em 2014 como folheto do European Southern Observatory afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 27. setembro 2019 - 15:11
(AFP)

Os astrônomos descobriram um aglomerado de galáxias de 13 bilhões de anos, o mais antigo já observado - revela um documento publicado nesta sexta-feira (27).

Essa descoberta pode conter pistas sobre como o universo se desenvolveu.

"Um aglomerado muito antigo [chamado de 'protocluster' pelos astrônomos] não é fácil de encontrar", declarou Yuichi Harikane, pesquisador do Observatório Astronômico Nacional do Japão, que liderou a equipe internacional, em um comunicado à imprensa.

"Um 'protocluster' é um sistema raro e especial com uma densidade extremamente alta", disse Harikane, acrescentando que os pesquisadores usaram o amplo campo de visão do telescópio Subaru no Havaí para "mapear uma grande área do céu".

A descoberta do protoaglomerado, uma coleção de 12 galáxias, sugere que as grandes estruturas cósmicas estavam presentes nos estágios iniciais do Universo, que os cientistas acreditam ter nascido há 13,8 bilhões de anos.

Uma das 12 galáxias é conhecida como Himiko, uma gigantesca nuvem de gás encontrada em 2009, usando o mesmo telescópio.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.