Navigation

Cinegrafista de TV russa morre no leste da Ucrânia

Homem exibe cartaz com a frase 'nós conversamos - eles matam' em manifestação em Kiev que pediu o fim do cessar-fogo no leste da Ucrânia afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 30. junho 2014 - 10:20
(AFP)

Um cinegrafista do principal canal de televisão russa morreu ao ser atingido por tiros no leste da Ucrânia, cenário de uma insurreição armada pró-Rússia, anunciou a emissora Pervy Kanal, que acusou as forças ucranianas.

O ministério russo das Relações Exteriores exigiu das autoridades ucranianas uma "investigação objetiva" sobre a morte do repórter. Também denunciou o que Moscou considera uma demonstração de que "as forças ucranianas não querem uma desescalada" e impedem a implementação do cessar-fogo.

Anatoli Klian, cinegrafista de 68 anos, é o terceiro jornalista russo morto desde o início do conflito. Ele realizava uma reportagem com rebeldes nas imediações de uma unidade militar ucraniana da região de Donetsk, segundo o canal.

Ele estava com um grupo de jornalistas russos levados por insurgentes da autoproclamada República de Donetsk para um encontro com mães de soldados, que exigiam a retirada dos filhos.

"Uma vez no local, aconteceram os tiros procedentes dos militares. Anatoli Klian recebeu um tiro mortal no abdome", anunciou a emissora em sua página na internet.

O Comitê de Investigação anunciou a abertura de um inquérito por "uso de meios e métodos de guerra proibidos e assassinato de uma pessoa durante sua atividade profissional".

"Anatoli Klian é mais uma vítima das autoridades ucranianas, que ignoram as normas internacionais de defesa da população em período de conflito", afirma o Comitê em um comunicado.

Klian trabalhava há 40 anos para a televisão russa e participou em várias missões em regiões consideradas difíceis, segundo o Pervy Kanal.

O motorista do ônibus que transportava os jornalistas foi ferido e estava hospitalizado.

Em 17 de junho, dois jornalistas da TV pública russa morreram na região de Lugansk.

Além disso, o fotógrafo italiano Andrea Rocchelli morreu perto de Slaviansk no fim de maio, assim como seu auxiliar russo Andreï Mironov.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?