Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Tanques ucranianos no norte de Donetsk

(afp_tickers)

A CNN afirmou nesta quinta-feira que um jornalista ucraniano que trabalhava para a rede americana foi sequestrado nesta semana por separatistas pró-russos, e pediu sua libertação.

Em sua página oficial na internet, a CNN relatou que o jornalista freelancer Anton Skiba havia sido sequestrado na terça-feira por homens armados da autoproclamada República Popular de Donetsk.

O canal indicou que não tinha informado a respeito do sequestro porque estava tentando obter sua libertação. Mas as negociações fracassaram e a rede de notícias decidiu pedir publicamente a libertação de Skiba.

O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ), com sede em Nova York, declarou que junto com Skiba há pelo menos um outro jornalista sequestrado depois de o governo de Donetsk ter proibido a presença de veículos da imprensa na área de conflito. Acredita-se que outros dois jornalistas estejam desaparecidos.

"Os sequestros e detenções, e outras violações da liberdade de imprensa, estão ocorrendo a uma velocidade vertiginosa no leste da Ucrânia", denunciou Nina Ognianova, integrante do CPJ.

A porta-voz adjunta do Departamento de Estado americano, Marie Harf, condenou o sequestro e pediu a libertação imediata de Skiba.

"Obviamente estamos preocupados com a segurança de todos os jornalistas, e todos devem permitir que a mídia realize seu importante trabalho", afirmou Harf.

AFP