Navigation

Colômbia rechaça 'ofensa' de Maduro contra Duque e exige respeito

O presidente colombiano, Iván Duque, na Assembleia Geral da ONU, em Nova York, em 26 de setembro de 2018 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 05. outubro 2018 - 21:58
(AFP)

A Colômbia tachou de "ofensa" nesta sexta-feira (5) as acusações feitas na quinta-feira pelo presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, contra o chefe de Estado Iván Duque, nas quais envolve uma suposta conspiração contra o governo socialista.

Em uma nova troca de críticas entre os dois países, a Chancelaria da Colômbia rechaçou "terminantemente" nesta sexta as declarações de Maduro e assegurou que Bogotá continuará "insistindo que a Venezuela recupere logo o caminho democrático".

O Ministério das Relações Exteriores "considera essas declarações como uma ofensa à dignidade" do presidente e "ao povo colombiano que o elegeu", e "por isso exige respeito", acrescenta a nota.

Maduro se referiu a Duque como um "diabo que odeia a Venezuela" e está "conspirando diariamente" para "prejudicar" a Força Armada Bolivariana.

"O governo satélite da Colômbia é um governo perigoso porque (...) combina muito ódio com inexperiência", destacou Maduro em um ato público.

Desde a sua chegada ao poder, em 7 de agosto, Duque seguiu com a pressão internacional que era exercida por seu antecessor, Juan Manuel Santos, contra o regime de Maduro, o qual chama de "ditadura".

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.