Navigation

Comando da Al-Qaeda ataca aeroporto no Iêmen

Moradores observam ônibus, alvejado por atirador enquanto carregava funcionários de um hospital militar, em 15 de junho de 2014, em Adem, no Iêmen. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 26. junho 2014 - 14:43
(AFP)

Um comando da Al-Qaeda atacou nesta quinta-feira o aeroporto de Seyun, no sudeste do Iêmen, e explodiu o centro de telecomunicações, mas o exército conseguiu, em meio à ação, retirar os passageiros de um voo da companhia Yemenia que chegou no exato momento.

Os combatentes da rede extremista atacaram simultaneamente o aeroporto e o quartel-general militar de Seyun, a principal cidade da província de Hadramut, um reduto jihadista no interior da província.

O duplo ataque acabou com a vida de oito militares.

Nove civis também morreram, incluindo uma mulher e seus dois filhos, em uma ação dos extremistas antes do ataque ao aeroporto, contra uma fábrica de processamento de tâmaras em Seyun, informou o ministério da Defesa.

O aeroporto e o quartel-general já haviam sido alvo em maio de ataques da Al-Qaeda, mas esta é a primeira vez que a rede, muito enraizada na região, consegue entrar em um aeroporto e sabotar o material de telecomunicações.

Apesar dos golpes dados pelo exército e dos ataques com aviões teleguiados americanos (drones), a Al-Qaeda continua sendo capaz de cometer ataques espetaculares no Iêmen.

De fato, o braço iemenita da Al-Qaeda é considerado pelos Estados Unidos o mais perigoso da rede.

No primeiro ataque, "os criminosos invadiram o aeroporto, matando três soldados na entrada, antes de invadir a torre de controle", onde explodiram o centro de telecomunicações, informou um funcionário da segurança.

Os combatentes sequestraram um número indeterminado de funcionários, acrescentou, sem poder informar se os reféns haviam sido libertados.

Segundo ele, as unidades do exército enviadas ao local cercaram o aeroporto, onde ocorreram fortes confrontos. Seis membros dos comandos da Al-Qaeda morreram, mas ainda restavam alguns focos de resistência".

Um avião da companhia nacional Yemenia pousava no aeroporto no momento do ataque, o que provocou temores sobre a vida dos passageiros.

No entanto, unidades do exército em veículos blindados conseguiram "retirar sãos e salvos todos os passageiros" em um ônibus do exército através do portão norte do aeroporto, informou um membro dos serviços de segurança.

O aeroporto de Seyun é utilizado tanto para voos comerciais, alguns deles internacionais, quanto para a força aérea.

No mesmo momento, "um terrorista suicida da Al-Qaeda detonou seu carro-bomba em frente ao quartel-general da comandância da primeira zona militar, matando cinco soldados" em Seyun, declarou um comando do exército.

No dia 24 de maio, ao menos 15 pessoas já morreram em combates entre o exército iemenita e insurgentes da Al-Qaeda nesta mesma cidade.

A Al-Qaeda aproveitou o enfraquecimento da administração central em Sanaa após a revolta popular de 2011 contra o ex-presidente Ali Abdullah Saleh para reforçar sua presença no país.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.