Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Fumaça é vista em uma estrada que leva ao aeroporto internacional de Trípoli

(afp_tickers)

Os combates prosseguiam nesta quarta-feira nos arredores do aeroporto de Trípoli, capital da Líbia, dias depois da entrada em funcionamento do novo parlamento.

O governo de transição lançou um novo pedido para um cessar imediato dos combates para que os civis possam receber assistência.

No entanto, os confrontos se intensificaram nesta quarta, explosões eram ouvidas no centro da capital e colunas de fumaça eram vistas no setor onde está localizado o aeroporto.

Milícias rivais voltaram a se enfrentar no domingo pelo controle do aeroporto de Trípoli, em um contexto de luta de influências entre islamitas e liberais que poderiam mergulhar a Líbia em uma guerra civil.

O aeroporto de Trípoli está fechado desde 13 de julho após um ataque realizado por um grupo formado por milícias islamitas da cidade de Misrata, 200 km ao leste de Trípoli.

Estes confrontos fazem parte de um conflito mais amplo entre liberais e islamitas para ganhar influência no país. Também se relacionam com as rivalidades regionais entre as cidades de Zenten e Misrata.

Na quinta-feira passada fracassou uma tentativa de trégua entre os dois lados, informou o governo da capital.

Desde que os combates começaram, dezenas de foguetes foram lançados contra o aeroporto e as instalações foram danificadas, assim como uma dezena de aviões.

As autoridades líbias parecem incapazes de deter a violência e na semana passada admitiram que estão estudando a possibilidade de pedir uma intervenção das forças internacionais para restabelecer a segurança.

O país está mergulhado no caos desde a queda do regime de Muamar Kadhafi, em 2011.

AFP