Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Congresso unicameral do Peru em sessão de 19 de setembro de 2018 em Lima

(afp_tickers)

O Congresso peruano retrocedeu em sua tentativa de revogar duas das reformas constitucionais que aprovou na semana passada a pedido do governo e que serão submetidas a referendo em dezembro, em um novo capítulo de seu choque com o presidente Martín Vizcarra.

A iniciativa, deflagrada nesta sexta-feira, era um desafio ao governo e pretendia eliminar da consulta o tema da reeleição parlamentar e do retorno do sistema bicameral mediante um projeto de lei impulsionado pela bancada do partido Apra, do ex-presidente Alan García.

"A Célula Parlamentar Aprista decidiu retirar o Projeto de Lei 3544 apresentado por erro", anunciou o congressista Jorge del Castillo no Twitter.

"Reafirmamos nossa vontade de apoiar o Referendo e a Não Reeleição", assinalou Castillo, um dos promotores da proposta para eliminar a consulta sobre a reeleição parlamentar e o retorno do sistema bicameral.

A relação entre Poder Executivo e Legislativo, controlado pela oposição direitista fujimorista, está no contexto de crescente tensão desde que Vizcarra marcou a pauta política com o anúncio de que convocará um referendo constitucional.

"O governo do presidente Martín Vizcarra não jogou limpo com as propostas de reformas aprovadas para o referendo", havia declarado Castillo à AFP antes do recuo do Apra.

O projeto do Apra precisava do apoio do partido Força Popular, dirigido por Keiko Fujimori.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP