Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Embaixadora permanente da Austrália nas Nações Unidas, Julie Bishop fala após votar em 21 de julho de 2014

(afp_tickers)

O Conselho de Segurança da ONU aprovou nesta segunda-feira resolução que condena a derrubada do avião de passageiros da Malaysia Airlines e pede acesso ao local da queda, no leste da Ucrânia.

O documento, redigido pela Austrália e aprovado por unanimidade pelos 15 membros do Conselho, "condena nos termos mais firmes possíveis" o ataque que provocou a queda da aeronave no leste da Ucrânia e exige que os culpados sejam responsabilizados.

A resolução pede ainda "a todos os países e protagonistas na região", incluindo a Rússia, colaboração plena "com uma investigação internacional completa, minuciosa e independente".

A instituição exige ainda "o fim imediato de toda atividade militar, incluindo de grupos armados (separatistas), nos arredores" do local da catástrofe para facilitar esta investigação.

A votação ocorreu na presença do ministro holandês das Relações Exteriores, Frans Timmermans, e de seus colegas australiano e luxemburguês, Julie Bishop e Jean Asselborn. A Holanda perdeu 193 cidadãos e a Austrália 27 nesta tragédia que causou 298 mortes no total.

A resolução "exige que os grupos armados que controlam a área (...) forneçam acesso total, sem restrições e com segurança" a este local aos investigadores. O Conselho exige ainda que os separatistas "evitem qualquer ação que possa comprometer a integridade do local da queda", principalmente manipulando destroços do avião.

Contudo, o texto não indica nenhuma sanção ou ameaça de sanção aos envolvidos no caso.

AFP