Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Crianças palestinas observam os escombros de uma mesquita após um ataque militar israelense, no campo de refugiados de Nusseirat, centro da Faixa de Gaza

(afp_tickers)

O Conselho de Segurança da ONU convocou neste sábado Israel e o movimento islamita palestino Hamas a estabelecerem um cessar-fogo e "respeitarem as leis humanitárias internacionais, principalmente a proteção dos civis".

Em uma declaração aprovada por unanimidade, os 15 membros corpo executivo da ONU pediram o retorno à calma e o restabelecimento do cessar-fogo de 2012".

Os 15 países integrantes do organismo se declaram "muito preocupados em relação à crise em Gaza e com a proteção e o bem-estar de civis dos dois lados".

Os países também expressaram seu "respaldo a uma retomada das negociações diretas entre palestinos e israelenses com o objetivo de chegar a um acordo de paz global fundado em uma solução dos dois estados".

Segundo diplomatas, esta breve declaração de alcance simbólico foi objeto de intensas negociações durante dois dias, sobretudo entre Jordânia, único país árabe entre os membros não-permanentes no Conselho, e Estados Unidos.

Trata-se de uma "declaração à imprensa", que requer a unanimidade dos 15 membros da organização, e não de uma resolução, em geral mais exigente e resultante de uma votação.

A pedido dos países árabes, o Conselho teve na quinta feira uma reunião de urgência sobre Gaza, a pedido dos países árabes, mas não alcançou o consenso necessário para emitir uma declaração. Na ocasião, o secretário-geral da ONU Ban Ki-moon um pedido solene de cessar-fogo em Gaza.

AFP