Navigation

Contágio por COVID-10 nos EUA foi 2 a 13 vezes maior do que números oficiais

Turista em Nova York em 20 de julho de 2020 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 21. julho 2020 - 21:25
(AFP)

O número real de pessoas infectadas com o novo coronavírus nos Estados Unidos durante a primavera foi duas a 13 vezes maior que o número oficial de casos contabilizados.

Os dados, divulgados nesta terça-feira (21), são do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e confirmam que a pandemia é em boa parte sustentada por pessoas assintomáticas.

O CDC analisou amostras de bancos de sangue em 10 regiões dos Estados Unidos entre março e junho para detectar anticorpos contra o SARS-CoV-2, evidência de que uma pessoa já entrou em contato com o vírus, ainda que não tenha ficado doente.

De acordo com os resultados, entre 1% e 5,8% dos habitantes dessas áreas já haviam sido contaminados no período. A exceção é Nova York, onde a prevalência alcançou 23,2% da população.

Estudos sorológicos como esse têm sido realizados em muitos países, pois permitem que pesquisadores e autoridades conheçam o progresso do contágio pelo coronavírus na população de forma independente dos testes de detecção comuns, que revelam se alguém está infectado no momento do exame.

Na primavera norte-americana, houve uma escassez de testes de diagnóstico no país, o que contribuiu para que a circulação do vírus e sua mortalidade fossem subestimadas. Especialistas afirmam que ainda não há testes suficientes no país.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.