Navigation

Cristina Kirchner será ré em novo julgamento por corrupção

Ex-presidente argentina e atual senadora Cristina Fernandez de Kirchner em Buenos Aires em 27 de maio de 2019 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 06. junho 2019 - 22:35
(AFP)

A ex-presidente argentina Cristina Kirchner será submetida a um novo julgamento oral por uma suposta cobrança de subornos dos maiores empresários de obra pública do país, segundo uma decisão do juiz Claudio Bonadio publicada nesta quinta-feira pelo Centro de Informação Judicial.

Kirchner, de 66 anos, que foi presidente de Argentina entre 2007 e 2015, é acusada também de ter recebido subornos em troca de concessões em obras públicas.

Os procuradores públicos e o tribunal de apelação devem agora confirmar a realização do julgamento e, eventualmente, sua data.

A líder do peronismo de esquerda é senadora desde 2017 e goza, portanto, de foro parlamentar. Nas eleições de outubro, ela será candidata à vice-presidência da Argentina, na chapa liderada por seu ex-chefe de gabinete Alberto Fernández.

Junto com Cristina Kirchner, também será julgado seu ex-ministro de Planejamento, Julio de Vido. No total serão 156 empresários e ex-funcionários do governo.

Esse processo deriva do caso conhecido como "Os cadernos de corrupção", ainda em fase de investigação, que trata de supostos subornos a empresários no valor de mais de 160 milhões de dólares em pastas cheias de dinheiro.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.