Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Irmãos palestinos sentam em meio a destroços de sua casa, destruída após ataque aéreo israelense, em Beit Hanun, 5 de agosto de 2014

(afp_tickers)

Uma comissão parlamentar britânic, destruida após ataque aeo a pediu ao governo que aumente a pressão sobre Israel para que anule algumas restrições impostas aos habitantes de Gaza consideradas "desproporcionais" e contrárias ao Direito Internacional, em um documento divulgado nesta quarta-feira.

O informe da Comissão para o Desenvolvimento Internacional chega um dia depois da demissão inesperada da secretária de Estado para Relações Exteriores, Sayeeda Warsi, por considerar que não podia mais "apoiar a política do governo relativa a Gaza", a qual classificou de "moralmente indefensável".

O documento pressiona um pouco mais o governo de David Cameron, criticado pela oposição trabalhista por não adotar uma linha de mais firmeza com Israel desde o início da guerra, em 8 de julho passado. Até o momento, o registro é de 1.900 mortos.

Os membros da comissão parlamentar, que viajaram para Israel e os territórios ocupados este ano, antes do conflito, disseram ter ficado "emocionados" com o que viram.

Em seu informe, os parlamentares apontam o caráter contraproducente de certas medidas de segurança israelenses: "vimos um país (Israel), cujos cidadãos viveram sofrimentos imensos, que hoje impõe a seus vizinhos palestinos condições que provocam sofrimentos certamente diferentes - mas muito reais - e, com frequência, sem verdadeira justificativa a em matéria de segurança".

"Constatamos que Israel aplica medidas que obstaculizam o desenvolvimento econômico palestino e que provocam um forte ressentimento pelo lado palestino, mesmo entre os mais pragmáticos e moderados - o que, no fim das contas, apenas reforça a ameaça contra a segurança de Israel", denunciam os deputados.

Certas restrições de circulação impostas ao 1,8 milhão de habitantes da Faixa de Gaza são "desproporcionais" e contrárias ao Direito Internacional - acrescentam.

A comissão parlamentar britânica também pede ao governo britânico que aumente a pressão sobre as autoridades israelenses para que melhorem o abastecimento de água e de eletricidade, submetido a cortes frequentes nesse território densamente povoado.

AFP