Navigation

Diretor da Match acusado de revender ingressos do Mundial é foragido da justiça

Fachada do hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, em 7 de julho de 2014 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 10. julho 2014 - 21:58
(AFP)

O britânico Ray Whelan, diretor da Match Services acusado de revender ilegalmente ingressos da Copa do Mundo, deixou o hotel onde estava hospedado e está "foragido" da justiça, informou o delegado Fábio Barucke à imprensa.

"Ele saiu pela porta dos funcionários, vimos pelas imagens ele saindo apressado. Ele é considerado foragido", explicou Barucke.

A justiça decretou nesta quinta-feira a prisão preventiva de Whelan e outras dez pessoas acusadas de pertencerem a uma rede internacional de revenda de ingressos da Copa do Mundo.

O 12º acusado pela polícia permanecerá em liberdade provisória porque colabora com a investigação, informou à AFP a polícia.

Tirando Whelan, os outros dez envolvidos já estão presos preventivamente no complexo penitenciário de Gericinó, em Bangu.

O diretor da Match Services foi detido na segunda-feira pela polícia do Rio de Janeiro no hotel Copacabana Palace, onde estava hospedado, mas foi liberado horas depois, ao receber a liberdade condicional. A polícia informou que seu passaporte e credencial da Fifa foram confiscados.

A Match, com sede na Suíça, acusou na quarta-feira a polícia de deter Whelan ilegalmente, garantindo sua inocência e sua cooperação com as investigações.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.