Navigation

Dissidência cubana convoca consulta civil para reforma constitucional e "eleições livres"

(Arquivo) Vista de Havana afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 20. janeiro 2020 - 19:50
(AFP)

Uma plataforma de grupos dissidentes cubanos convocou a população a uma consulta civil para uma reforma constitucional que inclua "eleições livres" e que começará na segunda-feira, 27 de janeiro, com 48 encontros simultâneos em todo o país.

"Começamos, assim, com a realização simultânea em 27 de janeiro, véspera do nascimento de José Martí (herói nacional, 1853-95), de 48 encontros de Mesas de Iniciativa Constitucional em todo o país para sustentar um debate deliberativo entre cidadãos", disse uma comunicação escrita enviada nesta segunda-feira à AFP.

O anúncio da ilegal porém tolerada Plataforma #Otro18 é feito logo após a eleição de governadores e vice-governadores provinciais, em que vereadores municipais aprovaram as propostas do presidente Miguel Díaz-Canel.

Os vereadores, propostos e eleitos pela população, têm a representatividade de seus eleitores no voto, segundo as leis vigentes.

As autoridades cubanas terminaram em abril uma reforma constitucional que ratificou o Partido Comunista como único e "força dirigente superior da sociedade", realidade que uma ignorada dissidência tenta mudar.

Os opositores alegam estar respaldados pelo artículo 56 da Constituição.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.