Navigation

Duas doses da vacina são cruciais para proteger da variante Delta, diz regulador europeu

Fila para receber uma dose da vacina anticovid-19 fora de um centro de vacinação temporário montaram o Emirates Stadium, casa do clube de futebol Arsenal, no norte de Londres em 25 de junho de 2021 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 14. julho 2021 - 13:46
(AFP)

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) afirmou, nesta quarta-feira (14), que aplicar duas doses de algumas das vacinas anticovid aprovadas na UE é "crucial" para ter proteção contra a muito contagiosa variante Delta e pediu para acelerar seus programas de vacinação.

"Evidências preliminares sugerem que é necessário ter a segunda dose de uma vacina contra a covid-19 de duas doses para fornecer proteção adequada contra a variante Delta", disse a EMA, acrescentando que "o respeito do programa de vacinação recomendado é crucial para ter a mais alta proteção".

A variante Delta, detectada pela primeira vez na Índia, está se propagando muito rapidamente na Europa e constituirá 90% dos casos de covid-19 no continente no final do verão boreal, informou o Centro Europeu para a Prevenção e Controle de Doenças no mesmo comunicado.

"Isso torna essencial que os países acelerem seus programas de vacinação, incluindo a aplicação da segunda dose quando for recomendado, e que fechem as brechas e oportunidades de surgimento de mais variantes", disse a EMA.

Segundo o Centro Europeu para a Prevenção e Controle de Doenças, em dez países da UE cerca de 30% ou mais das pessoas maiores de 80 anos não completaram o programa de vacinação recomendado.

A variante Delta poderia "prejudicar seriamente os esforços de controle da pandemia", acrescentou a EMA, que estima que "são necessários esforços adicionais" em alguns países para proteger as pessoas vulneráveis e idosas.

Vários países decidiram recentemente endurecer seu dispositivo sanitário, principalmente para incentivar a vacinação para as pessoas mais relutantes.

Há também boas razões científicas para pensar que a combinação de diferentes marcas de vacinas, entre a primeira e segunda dose, é segura e eficaz contra a covid, segundo a EMA.

O uso deste tipo de estratégia de vacinação "poderia permitir às populações estarem protegidas mais rápido e um uso melhor das reservas de vacinas disponíveis", disse o regulador europeu.

No entanto, a EMA declarou que é cedo demais para confirmar se será preciso tomar uma terceira dose, já que não existem ainda dados suficientes das campanhas de vacinação ou estudos.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?