Navigation

Elon Musk testará rede de internet via satélite Starlink em duas remotas cidades chilenas

Satélites da Starlink atravessam o céu do Uruguai em 7 de fevereiro de 2021 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 05. julho 2021 - 22:32
(AFP)

O bilionário sul-africano Elon Musk testará sua rede de internet via satélite Starlink, habilitando o serviço por um ano em duas cidades remotas e desconectadas do Chile, graças a um acordo anunciado nesta segunda-feira (5) pelo governo chileno.

A Starlink, um projeto da empresa espacial SpaceX de propriedade de Musk, acertou com o governo chileno o fornecimento de internet via satélite para comunidades rurais e/ou isoladas com problemas de conectividade digital, por meio de uma licença especial para a empresa realizar suas operações sem fins lucrativos, indicou uma declaração a Subsecretaria de Telecomunicações chilena.

"A Starlink foi projetada para comunidades remotas como Caleta Sierra e Sotomó", declarou Gwynne Shotwell, presidente e COO da SpaceX, no comunicado.

Caleta Sierra é uma pequena cidade localizada na região de Coquimbo, mais de 400 km ao norte de Santiago, onde vivem cerca de 170 pessoas em sua maioria dedicadas à pesca artesanal, mergulho e extração de algas nas costas no Oceano Pacífico.

Entretanto, Sotomó é uma vila com cem habitantes situada a cerca de 950 km a sul de Santiago, aninhada nas margens do rio Puelo e ao qual só se chega por via fluvial.

A Starlink se comprometeu a oferecer um potencial de download que varia de 50 a 150 Mb/s, com uma latência (o tempo que leva para enviar dados de um ponto a outro) de 20 a 40 milissegundos.

“Uma oferta suficiente para atividades relacionadas ao teletrabalho, entretenimento e educação” para ambas as populações, informa a nota.

Para fazer a conexão, a Starlink entregou kits de satélite que permitirão serviços gratuitos de internet por um ano. Após este período, ficou acertado que o custo será absorvido pelos municípios.

“Às vezes nossa geografia torna complexa a implantação de redes tradicionais de banda larga. Por isso, estamos orgulhosos de que a empresa Starlink tenha escolhido o Chile como um país pioneiro na América Latina para iniciar a implantação de seu projeto de Internet via satélite”, comemorou Gloria Hutt, ministra dos Transportes e Telecomunicações do Chile.

Musk disse na última quarta-feira em Barcelona que vai investir até 30 bilhões de dólares no projeto Starlink, que já colocou em órbita mais de 1.500 satélites e tem mais de 69.000 usuários ativos em uma dezena de países.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?