Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A presidente da Lituânia, Dalia Grybauskaite

(afp_tickers)

A Lituânia adotará o euro e se converterá no 19º membro da união monetária no começo de 2015, depois que a Comissão e o Parlamento Europeu deram sua aprovação, nesta quarta-feira.

A Lituânia é o terceiro país báltico a adotar o euro depois de Estônia (2011) e Letônia (2014).

"No plano geopolítico, o euro trará mais segurança" declarou à AFP a presidente lituana, Dalia Grybauskaite.

"A partir de agora faremos parte de um grupo de países competitivos que toma decisões importantes de política fiscal e monetária. Não nos contentamos em aplicar as decisões, faremos parte do processo de decisão", acrescentou a mandatária.

"A adoção do euro pela Lituânia não é somente crucial para esse sócio, mas também é essencial para toda a zona euro" afirmou o ministro italiano de Assuntos Europeus, Sandro Gozi, cujo país assume a presidência da UE até o final de 2014.

"Isso demonstra a moeda única continua atrativa", acrescentou.

A adesão ao euro "trará um certo número de benefícios aos cidadãos e às empresas lituanas", opinou o comissário de Assuntos Econômicos, Jyrki Katainen, que citou em particular a eliminação dos riscos relacionados à taxa de câmbio.

"Nossos esforços renderam frutos: a zona euro nos abre agora suas portas", declarou o primeiro-ministro lituano, Algirdas Butkevicius, para quem esta decisão representa "uma maior segurança" para o seu país.

O euro pode ser visto como uma barricada contra a Rússia e um modo de reforçar seu peso político na Europa, após uma tentativa de adesão que falhou em 2006-2007.

Atualmente, 48% dos habitantes do país é contra a adoção do euro, segundo pesquisa realizada em junho pelo Eurobarômetro.

A Lituânia tem 3 milhões de habitantes e é membro da União Europeia desde 2004.

AFP