Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Eleitora com dificuldade de locomoção participa em Quito do programa 'Votar em Casa'

(afp_tickers)

A autoridade eleitoral convocou 12,8 milhões de equatorianos às urnas para eleger neste domingo, em segundo turno, o sucessor do presidente socialista Rafael Correa, no poder desde 2007.

O candidato governista, Lenín Moreno, que, no primeiro turno, obteve 39,36% dos votos, irá enfrentar o ex-banqueiro de direita Guillermo Lasso, que recebeu 28,09%.

As eleições para definir o próximo presidente do Equador são as mais disputadas da história recente do país, onde Correa venceu em três ocasiões seguidas, duas delas no primeiro turno e com ampla vantagem.

Segue abaixo a ficha eleitoral do Equador:

População: 16,5 milhões, cerca de 30% indígenas.

Eleitores: 12,8 milhões (6,4 milhões de homens e 6,4 milhões de mulheres). O total inclui jovens de 16 a 18 anos, policiais, militares, pessoas com incapacidades e presos sem sentença, para quem o voto é opcional.

Mesas eleitorais: 43.623 nas 24 províncias do país e 887 no exterior.

Horário de votação: Entre 07H00 e 17H00 locais.

Cargos para o período 2017-2021: Presidente e vice-presidente.

Número de candidatos: Dois binômios.

Partidos e organizações políticas participantes: Alianza País (liderado por Rafael Correa) e Creando Oportunidades (CREO, de Guillermo Lasso).

Voto: Obrigatório para pessoas de 18 a 65 anos.

Sanções: Multa de 37,50 dólares para quem não votar, mais oito dólares pela cédula eleitoral requerida para alguns trâmites públicos.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP