Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Contêineres com armas químicas sírias no porto de Gioia Tauro

(afp_tickers)

Uma equipe de especialistas em armas químicas viajará à Síria no próximo mês para monitorar a promessa de Damasco de entregar seu arsenal químico, anunciou o embaixador britânico na ONU nesta terça-feira.

Uma missão conjunta da Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq) e das Nações Unidas está supervisionando a destruição das reservas de agentes químicos, mas ainda há dúvidas sobre se o regime esconde outros estoques.

O responsável pela missão, Sigrid Kaag, disse no Conselho de Segurança que irá a Damasco em setembro para fazer o acompanhamento, informou à imprensa o embaixador britânico na organização, Mark Lyall Grant.

Durante a sessão do Conselho, também foram discutidas as denúncias recentes do uso de bombas com cloro na Síria.

A Opaq informou que, na Síria, serão tratados alguns erros, ou omissões, na lista de armas e de instalações químicas entregue pelo governo sírio para serem destruídas. "Há várias questões a serem levadas em conta nessa lista", destacou Lyall Grant, que preside o Conselho em agosto.

Segundo o embaixador britânico, Kaag explicou que a destruição de 12 antigas usinas de produção de armas químicas na Síria levará pelo menos seis meses.

As últimas armas químicas que Damasco dizia ter em seu poder foram retiradas do país no final de junho, ou seja, com muitos meses de atraso em relação ao programa aprovado pela ONU.

AFP