Navigation

Espanha adverte opositor Leopoldo López sobre 'ativismo político' em sua embaixada

Josep Borrell afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 03. maio 2019 - 13:49
(AFP)

O chanceler espanhol, Josep Borrell, advertiu nesta sexta-feira ao líder da oposição Leopoldo López, atualmente abrigado na residência do embaixador espanhol em Caracas, que ele não deve fazer da sede diplomática "um centro de ativismo político".

"A Espanha não permitirá que sua embaixada se torne um centro de ativismo político", disse o ministro espanhol aos repórteres em um comunicado divulgado pela cadeia espanhola TVE.

"Temos também a confiança de que, nestas condições, a Venezuela vá respeitar a imunidade diplomática", declarou ainda Borrell.

Na madrugada de quarta-feira, após ser libertado da prisão domiciliar por soldados rebelados contra Nicolás Maduro, Leopoldo López se refugiou com sua esposa e filha na residência do embaixador espanhol em Caracas.

Eles estão lá como "convidados", disse o governo espanhol, que, em um comunicado divulgado na quinta-feira, descartou a entrega do opositor à justiça venezuelana depois que um tribunal de Caracas emitiu um mandado de prisão contra ele.

Quase simultaneamente ao envio dessa declaração pelo Ministério de Relações Exteriores da Espanha, López compareceu diante da imprensa da residência do embaixador e antecipou que "mais movimentos no setor militar ocorrerão contra o governo de Maduro".

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.