Navigation

Espanha não controla "perfeitamente" transmissão do coronavírus

Vendedor de bebidas em 9 de julho de 2020 na praia de Barceloneta, em Barcelona afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 10. agosto 2020 - 18:59
(AFP)

As autoridades sanitárias espanholas reconheceram nesta segunda-feira que não são capazes de controlar "perfeitamente" o contágio do novo coronavírus, como evidenciado pelo fato de que a Espanha registrou o maior avanço nos casos detectados entre os grandes países da Europa Ocidental em duas semanas.

O número de óbitos aumentou significativamente, com 65 óbitos registrados nos últimos sete dias, mais da metade deles na região de Aragão (nordeste), segundo balanço do Ministério da Saúde divulgado nesta segunda-feira.

"A transmissão, que se deve principalmente a surtos, também é afetada por um certo nível de transmissão comunitária em algumas áreas da Espanha", disse Fernando Simon, epidemiologista-chefe do Ministério da Saúde.

A transmissão ocorre "basicamente em torno desses surtos", o que "gera uma transmissão que não é perfeitamente controlada, mas que se suaviza progressivamente", acrescentou.

O número de portadores diagnosticados do novo coronavírus aumentou cerca de 60% nos últimos sete dias no país, segundo cálculo da AFP com base em dados oficiais.

A média subiu para 90 por 100 mil habitantes nas últimas duas semanas, quando o número é de 27 na França, 17 no Reino Unido, 13 na Alemanha e 7 na Itália.

As regiões mais afetadas são a Catalunha (nordeste) e a vizinha Aragão, que é a mais preocupante com a maior taxa de casos do país, 240 por 100.000 habitantes.

"A Catalunha já está em fase de controle", enquanto o número de casos em Aragão "se estabiliza em grande parte do território", informou Simon.

Esses aumentos de contágio levaram essas duas regiões a decretarem confinamentos parciais.

A Catalunha lançou uma intensa campanha de testes em algumas das áreas mais afetadas.

Aragão, por sua vez, se prepara para enviar a polícia para verificar se aqueles que testaram positivos para COVID-19 respeitam bem a quarentena imposta.

A Espanha passou por confinamento estrito de meados de março a 21 de junho, mas o governo descarta a possibilidade de restabelecer o estado de alarme.

O país continua sendo um dos mais afetados pela pandemia na Europa, com um total de 322.980 casos e 28.576 mortes registradas até segunda-feira.

Cada vez mais os países europeus impõem a quarentena aos viajantes da Espanha, e outros, como a França e a Bélgica, não aconselham viajar para regiões de risco neste país turístico.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.