Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Sede da companhia Netflix, em Los Gatos, Califórnia

(afp_tickers)

Uma pesquisa publicada nesta quarta-feira revelou que consumidores americanos assistem cada vez à TV pela internet via "streaming" ao invés de verem transmissões ao vivo, usando serviços como o Netflix, muitas vezes para acompanhar séries.

Os 56% dos consultados afirmaram ver filmes online pelo menos uma vez por mês e 53% disseram assistir programas de televisão.

Os espectadores interrogados gastam 45% de seu tempo vendo as transmissões de TV ao vivo. O percentual cai para 35% na faixa etária de 26-31 anos e a 28% para a de 14-25 anos.

"A ideia de consumidores sentados em suas salas de estar assistindo programas de televisão em horários programados, especialmente entre as gerações de jovens, dá lugar rapidamente a um mercado de telespectadores que usam múltiplos dispositivos dentro e fora de suas casas para acessar conteúdos quando quiserem", afirmaram os autores do estudo.

"Em 2014 houve uma transição entre uma televisão com hora imposta (pelas redes de televisão) a uma grande quantidade de consumidores que assistem atrações televisivas em seu próprio ritmo", completaram.

Os 68% dos consultados admitiram ser adeptos do "binge-watching", como se referem ao hábito de assistir a uma sequência de episódios durante longos períodos, e 31% afirmam fazer isso pelo menos uma vez por semana.

A transição é mais evidente nas novas gerações: mais de 70% dos jovens de 14 a 25 anos dizem que o "streaming" é o seu jeito preferido de assistir TV. Na mesma faixa etária, 80% disseram aderir ao "binge-watching".

Além disso, 3% dos entrevistados disseram ter suspendido a assinatura de TV a cabo ou por satélite no ano passado, e 7% admitiram que avaliam esta iniciativa.

O estudo se baseou em um pesquisa feita com 2.076 americanos de 14 anos ou mais e foi realizado entre os dias 3 e 19 de novembro do ano passado.

AFP