Navigation

Estudo diz que tuberculose infantil é um problema subestimado pela OMS

Paciente de tuberculose, acompanhado da esposa, em hospital da cidade indiana de Nova Délhi, em 24 de março de 2014 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 09. julho 2014 - 19:13
(AFP)

Mais de 650.000 crianças desenvolvem tuberculose anualmente nos 22 países mais afetados pela doença, entre eles o Brasil, uma estimativa 25% superior à da Organização Mundial da Saúde (OMS), segundo um estudo.

Além disso, 53 milhões de crianças vivem com uma forma latente da infecção, suscetível de evoluir a qualquer momento para uma tuberculose ativa, acrescentam os autores do estudo publicado na revista britânica especializada em medicina The Lancet.

Em seu relatório de 2013, a OMS estimou em 530.000 os casos de tuberculose detectados em crianças menores de 15 anos em 2012.

Mas a estimativa depende dos casos apontados pelos pediatras, um método criticado por muitos especialistas, em particular porque sua confiabilidade varia consideravelmente de um país para outro.

Os 22 países apontados no estudo são Brasil, Afeganistão, África do Sul, Bangladesh, Camboja, China, Congo, Etiópia, Índia, Indonésia, Quênia, Moçambique, Mianmar, Nigéria, Paquistão, Filipinas, Rússia, Tailândia, Uganda, Tanzânia, Vietnã e Zimbábue.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.