Navigation

EUA não fabricarão mais minas antipessoais

Protestos de sobreviventes de minas em frente a Casa Branca, em 1º de março de 1999. Washington assegurou, em 2009, que estava reconsiderando sua posição sobre este tema. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 27. junho 2014 - 14:07
(AFP)

Os Estados Unidos anunciaram nesta sexta-feira que não fabricarão mais minas antipessoais e que devem aderir ao tratado internacional que proíbe seu uso.

"Hoje, em uma conferência em Maputo, Moçambique, os Estados Unidos assumiram o desafio de de declarar que não produzirão mais minas antipessoais no futuro nem substituirá as reservas existentes quando acabarem", indicou a Casa Branca em um comunicado.

Washington assegurou, em 2009, que estava reconsiderando sua posição sobre este tema, mas não assinou a Convenção de Ottawa que proíbe o uso, como também não assinaram Rússia e China.

As potências nucleares Índia e Paquistão também se abstiveram de assinar o documento.

"Nossa delegação em Maputo esclareceu que estamos buscando diligentemente soluções que (...) permitam aos Estados Unidos ter acesso à Convenção de Ottawa", afirmou, em um comunicado, a porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, Caitlin Hayden.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.