Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Comboio das forças ucranianas na cidade de Debaltceve, na região de Donetsk, em 30 de julho de 2014

(afp_tickers)

O exército ucraniano anunciou nesta quinta-feira a suspensão por um dia de sua ofensiva contra os separatistas pró-russos no leste do país a pedido do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, para que os especialistas internacionais possam chegar ao local onde o avião da Malaysia Airlines caiu.

"Hoje há um cessar-fogo a pedido de Ban Ki-moon devido ao trabalho dos especialistas na zona onde o avião caiu. O Estado-Maior da operação antiterrorista decidiu decretar um 'dia de silêncio' e suspender os combates", declarou à AFP Oleksi Dmytrashkivski, porta-voz das forças ucranianas.

No entanto, advertiu que os militares podem disparar para se defender.

O secretário-geral da ONU pediu na quarta-feira às forças ucranianas e aos separatistas no leste da Ucrânia que parem imediatamente os combates perto do local onde o avião que cobria o voo MH17 foi derrubado, matando seus 298 ocupantes.

Os especialistas internacionais tentam desde domingo, sem sucesso, chegar ao local onde ainda há restos humanos e do avião, devido aos fortes combates entre o exército e os insurgentes.

Inspetores da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) com especialistas holandeses e australianos tentavam chegar novamente nesta quinta-feira ao local onde a aeronave foi abatida.

Por sua vez, o Parlamento ucraniano se reuniu nesta quinta-feira a portas fechadas para ouvir o relatório do ministro da Defesa, Valeri Gueletei, e ampliar a missão dos policiais holandeses e australianos no local da catástrofe ratificando os acordos neste sentido.

AFP