Navigation

Ex-ministro argentino é condenado por colisão fatal de trem

(Arquivo) O ex-ministro de Transporte e depois de Planejamento da Argentina Julio De Vido, em Buenos Aires, em 13 de abril de 2016 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 10. outubro 2018 - 17:59
(AFP)

A Justiça argentina condenou nesta quarta-feira (10) a cinco anos e oito meses de prisão o ex-ministro de Transportes Julio de Vido no processo por um acidente ferroviário que, em 2012, causou a morte de 51 pessoas, informou o tribunal.

O ex-ministro foi considerado culpado de fraude contra a administração pública, mas foi absolvido da acusação de estrago culposo.

De Vido, que também foi ministro de Planejamento durante o governo de Cristina Kirchner (2007-2015), já estava em detenção preventiva por outras ações de corrupção.

Esta é a primeira condenação a De Vido. A sentença ainda pode ser apelada.

O ex-ministro sustentou nesta quarta-feira, em suas últimas alegações, que é vítima de "perseguição política, midiática e judicial", e que a sua condenação foi "uma decisão política do presidente (Mauricio) Macri".

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.